O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Movimento
GGB denuncia vídeo homofobico no Youtube
Por Redação

 

Animal veado: imagem usada como analogia a homossexual masculino em vídeo na Bahia.

Bob Esponja do desenho animado também associado como homossexual pelo produtor do vídeo homofobico na Bahia.

SALVADOR, 02/07/09 – 15hs – O Grupo Gay da Bahia (GGB) ofereceu denúncia na tarde de hoje ao Ministério Público da Bahia, ao Centro de Apoio as Promotorias da Operacional as Promotorias de Justiça, Infância e Juventude. A entidade quer que o Ministério Público apure o conteúdo do vídeo Teteu “Viado tem de morrer”, vinculado para todo o mundo através do Youtube, postando em diversos perfis no Orkut, ao exemplo do “Cau Lins”, que retirou o conteúdo difamatório da rede mundial de computadores na tarde de hoje.

O GGB não vai reproduzir o vídeo nesse espaço por respeito à Lei e especial ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), normas ignoradas pelos familiares do menor que desconhecem os direitos das crianças e adolescentes, entre eles a privacidade e a integridade. “Vamos deixar que a justiça faça o seu trabalho, a denúncia já oferecemos.” disse Marcelo Cerqueira, Presidente da entidade. Se por um lado a entidade não mostra as imagens da criança, por outro se acha no dever de expor à população parte do conteúdo e pede que todo tipo de preconceito contra minorias sociais, homossexuais, negros, crianças e adolescentes sejam denunciados pela população aos órgãos competentes no Brasil.

O vídeo inicia com a reprodução de um animal veado na televisão. Um primo mostra a imagem para a criança e pergunta “O que é isso Mateus na Televisão?”, a criança responde “É um viado”. Ele diz, “Viado tem que o quê, Mateus?”. A criança responde, “Viado tem de morrer”. Na seqüência, o mesmo mostra à criança a figura do Bob Esponja, personagem de desenho animado, e repete a pergunta ao tempo que todos estimulam ao menino a bater no viado. “Bate no viado, vamos, bate no viado, pau no viado, bora Mateus, pau no viado”. Um momento a criança sai da brincadeira e corre para perto da mãe, mas eles continuam a incentivar a criança a bater no Bob Esponja, em alusão ao viado.

O GGB ofereceu a denuncia porque foi provocado por um visitante do seu site e ao ver o vídeo a repulsa por parte de membros da entidade foi total. Seu conteúdo percebe-se como algo premeditado, planejado para uma finalidade especifica que é semear o ódio e a violência contra um segmento que sofre vitima do preconceito e discriminação.

O GGB orienta o uso responsável da rede mundial de computadores no sentido de que cada vez esse importante instrumento sirva para aproximar as pessoas e promover a cultura, cidadania e direitos civis das populações em todo o mundo. “Devemos sempre denunciar todos os excessos e expressões da violência, pornografia infantil, e uso de imagens com menores em situações que violem os seus direitos, como essas divulgadas no vídeo, Teteu, Viado tem de morrer”. Alerta Cerqueira.

Na opinião do advogado Helio Leal “Trata-se de uma verdadeira violação à formação conscienciosa da criança. Desde o surgimento do ECA os entes públicos trabalham arduamente para minimizar formas de preconceito, como a homofobia. Mas o sucesso desse projeto depende da participação dos pais no tocante a inibir qualquer manifestação desde a infância de atitudes de segregação.” Conclui o advogado.

 

 

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia