O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

HPV
Fique ligado e saiba como se proteger da doença
Muitas pessoas têm o vírus e não sabem que são portadoras!

Foto: imagem de pênis e vagina apresentando sintoma agudo da doença.

Salvador,BA, quinta-feira, 27 de outubro de 2011 - Editoria do site

A infecção genital por HPV é uma doença sexualmente transmissível cuja causa é o papilomavírus humano (HPV), que é o nome de um grupo de vírus que inclui mais de 100 variedades diferentes. Mais de 30 desses vírus são transmitidos sexualmente e podem infectar a área genital de homens e mulheres incluindo a pele do pênis, vulva (área de exterior da vagina) ou ânus, e o revestimento da vagina, cérvix ou reto. A maioria das pessoas infectadas com HPV não apresenta sintomas e serão curadas por si mesmas.

Alguns desses vírus são do tipo de "alto-risco" e podem ocasionar câncer no cérvix, vulva, vagina, ânus ou pênis. Outros são chamados de "baixo risco" e podem causar verrugas nos genitais. Existe tratamento para as pessoas infectadas e é aconselhável vacinar especialmente meninas a partir dos 9 anos de idade. A vacina também vale para meninos que igualmente não iniciaram vida sexual. A vacina não é disponível no serviço de saúde sendo oferecida pelas clinicas especializadas. O preservativo é algo importante na relação, mas no caso do HPV ele só protege o cérvix da infecção, sendo apenas 50% de proteção.

Os exames para HPV são distintos para homens e mulheres e custam cerca de $ 300 em laboratórios particulares e oferecido de graça na rede pública de saúde. Um exame com um coletor na uretra masculina já é suficiente para ter um resultado seguro, já no caso das mulheres tem o resultado a partir do Papanicolau anormal.  Leia com atenção as informações abaixo e previna-se.

Como as pessoas contraem infecção de HPV?

Os tipos de HPV que infectam a área genital são espalhados principalmente pelo contato genital. A maioria das infecções de HPV não apresenta sinais ou sintomas, desta forma a maioria das pessoas não sabe que está infectada, mas pode passar o vírus ao parceiro sexual. Em raros casos a mulher grávida pode passar HPV ao bebê durante o parto natural.

Quais são os sintomas de infecção genital por HPV?

A maioria das pessoas com infecção genital de HPV não sabem que estão infectadas. O vírus vive na pele ou membranas mucosas e geralmente não causa sintomas. Algumas pessoas apresentam verrugas visíveis na área dos genitais ou têm alterações pré-cancerígenas no cérvix, vulva, ânus ou pênis. Em casos raros a infecção por HPV pode ocasionar câncer no ânus ou genitais.

Como é feito o diagnóstico do HPV?

A maioria das mulheres tem o diagnóstico de HPV baseado em teste Papanicolau anormal. O teste de Papanicolau é a principal ferramenta para diagnosticar câncer cervical ou alterações pré-cancerígenas no cérvix relacionadas ao HPV. Também há um teste específico para detectar o DNA do HPV em mulheres. Não há teste de HPV para homens.

Existe cura para o HPV? Como é o tratamento?

Não existe "cura" para a infecção de HPV, embora na maioria das mulheres ela desapareça por si mesma. O tratamento é direcionado às alterações na pele ou membrana mucosa causadas pela infecção de HPV, como as verrugas e alterações pré-cancerígenas no cérvix

Como reduzir os riscos de contrair infecção genital por HPV?

O meio mais seguro de eliminar o risco de infecção de HPV é evitar contato genital com outras pessoas. Para aqueles sexualmente ativos, o relacionamento mutuamente monogâmico com um parceiro não infectado é a forma mais segura de prevenir infecções por HPV. Porém, é difícil determinar se o parceiro que esteve sexualmente ativo no passado não esteja infectado.

Para aqueles sexualmente ativos que não têm relação monogâmica de longo prazo, reduzir a quantidade de parceiros sexuais e escolher parceiro de menor risco diminui a probabilidade de contrair infecção por HPV. Parceiros de menor risco são aqueles que têm menos chances de estarem infectados por terem poucos parceiros sexuais anteriores.

A infecção por HPV pode ocorrer em áreas genitais de homens e mulheres não cobertas pelo preservativo de látex, de modo que a eficiência deste para prevenir a infecção não está determinada. Porém, o uso de preservativos tem sido associado a uma menor taxa de câncer cervical, uma doença relacionada à infecção por HPV.

Exames

Para ter um diagnostico da doença é necessário que se realize o exame periódico de prevenção, o Papanicolaou, de pelo menos uma vez por ano. Todas mulheres que têm relações sexuais ativas devem fazer o exame, independente da idade.

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia