O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Estranho é não ser alegre! É ser triste, homofôbico! 

Salvador, BA, quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Ilustração a prtir do cartaz oficial produzida peloautor.

“É melhor ser alegre que ser triste. Alegria é a melhor coisa que existe. É assim como a luz no coração” (Vinicius de Moraes)


Por André Cupolo

O significando da palavra gay no inglês quer dizer “alegre” aqui em nossa língua tem outro significado diferente do original. Mas eu quero focar nesse aspecto que gay é igual à pessoa alegre!

Homofobia é uma doença e é igual à pessoa que tem pavor de alegria. Na maior parte as pessoas são quem praticam atos e atitudes intolerantes contra homossexuais, isso é um atentado a integridade dessa população que deve ser combatido exemplarmente pelos poderes públicos constituídos para que não incentive a impunidade.

O atentado homofôbico acontece todos os dias e a Lei é cega surda e muda diante de tanta desigualdade com homossexuais. Esses atentados são incentivados por toda sociedade e isso inclui famílias, religiões, governos e políticos preconceitos que impunemente expressam sua homofobia através dos meios de comunicação.

São eles mentores que induzem as pessoas jovens e adultas agredirem as diversas minorias. Em relação a homossexuais esses atentados que falo são expressos pelo xingamento, calunia difamação isto quando não se chega as vias de fato que é o extermínio. Mas, digo-lhes também que muitas das vezes a palavra só já é cruel.  

Conheço vitimas da homofobia que por não serem compreendidas, marginalizadas pelas famílias, sociedade e escola mesmo tendo potencialidades e habilidades profissionais, artísticas e culturais não são indivíduos produtivos e, por conseguinte acabam se enveredando por outros caminhos que podem levar a depressão e até mesmo ao suicídio.

Vou ilustrar com alguns exemplos bem familiares. Quando sua mãe ou pai fala mal dos gays na sua frente e você é gay. Quando você tenta agradar para ser aceito imitando os comportamentos que são considerados normais. Quando você não consegue agradar em casa e ainda como miséria pouca é bobagem recebe bullying na Escola, o gay ou a lésbica pode se achar anormal.  Estranho é querer se matar ou desenvolver dependência a antidepressivos e a outras drogas, por causa da homofobia.

Ou se cria leis que garantam os direitos dos homossexuais incluindo uma educação formal e informal que mostrem a todos que homossexuais não são seres estranhos e fazem parte da sociedade, inclusive contribuindo com pagamento de impostos ou infelizmente, mas vitimas irão de pintar por ai. A ignorância e um dom hereditário a sabedoria é adquirida na jornada da vida e do seu dia-a-dia.

Vamos processar as famílias e o estado pôs permitem que menores mal educados proliferem-se criando uma geração de ignorantes tristes, que vão agredir e ate tirar a vida do dos sábios simplesmente por serem alegres. Ah! Tem um detalhe. Ou melhor, um grande detalhe é que, a alegre vitima não se impõem assumindo e reivindicando seus direitos. Isso pode até não ser fácil, mas é possível.

O triste é saber que muitos abrem mão da alegria para conviver com a tristeza homofobia dos outros infelizes que não sabem o quanto é bom ser gay, ou melhor, sabem e tem inveja dessa alegria nossa.  Pobre desses rapazes alegres que vivam com a vã esperança que pacificamente algum dia eles, os tristes irão aceita-los e até serem alegres.
 
Estranho não e ser alegre estranho é conspirar contra esta alegria disseminando ódio e homofobia. Estranho não é ser alegre e sim ter medo de compartilhar dela. Alegria nunca foi estranho, estranho é ser triste. Para você ter mais clareza que escrevo ouvir com atenção a canção Smalltown Boy “garoto do interior” da banda Bronski Beat. É de 1984 mais parece que o tempo não passou. Convido para ouvir e ver o vídeo clique AQUI.

André Cupolo
Contatos com o autor - aacupola@msn.com e queensexclub@live.com
http://mais.uol.com.br/view/2hi2gcr55gj7/bronski-beat--smalltown-boy-legendado-ptbr-04023066E4815346?cmpid=cmp-cfb-vdo

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia