O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Caso Itamar Ferreira
Presidente do GGB será ouvido na Corregedoria da Policia Civil

Salvador, Bahia, quarta-feira, 20h30min, 1 de maio de 2013 – Assessoria GGB

Foto GGB. Familiares de Itamar Ferreira em ato de protesto no local do crime no Campo Grande.

Leia também. Itamar Ferreira
GGB denúncia delegada a Corregedoria da Polícia Civil, Confira!

O presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), professor e bacharel Marcelo Cerqueira vai ser ouvido manhã, quinta-feira, ás 9h pelo Corregedor Geral da Corregedoria da Polícia Civil do Estado da Bahia na sede do órgão no bairro de Amaralina.

Cerqueira vai prestar esclarecimentos sobre a denúncia protocolada pelo GGB por meio de correio eletrônico questionando as declarações da delegada Simone Moutinho, titular da 3ª Delegacia de Homicídios (BTS) em relação à morte do estudante Itamar Ferreira, encontrado na manhã de13 de abril em uma das fontes da Praça do Campo Grande, centro de Salvador.

As declarações da oficial na opinião da entidade desabonam a honra do estudante e de sua família que ainda não conseguiu superar a perda.  O GGB questiona as seguintes declarações da oficial de polícia “antes do crime, o estudante e um amigo, o eletricista Edmilson Santos de Oliveira, 42, estavam bebendo em um bar no Beco dos Artistas”. A delegada prossegue o relato afirmando que “no local, eles encontraram três moradores de rua, entre eles Ricardo, e começaram a beber juntos. Quando o dinheiro acabou, os dois chamaram Ricardo, o menor e Scarlet para fazerem sexo grupal na praça”. A entidade apesar de classificar as declarações da delegada como infeliz, parabeniza a equipe policial que identificou os acusados em tempo recorde.

O GGB acredita que a participação dos familiares e amigos foi muito importante e serviu de exemplo a ser seguido por outros familiares em casos envolvendo violência contra LGBT. “Denunciamos em defesa da honra da vitima e respeito aos seus familiares” declarou Cerqueira ao tempo que declarou não ter notícia de alguma família se envolver tanto na apuração de um crime envolvendo LGBT.  “Não conhecia a vitima, mas a dor expressada pela família indica que ele era de fato muito especial”, conclui.

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia