O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Parada Gay da Bahia

Famílias se divertem com a Parada Gay no Centro de Salvador

Por Redação do A Tarde 26.10.2009 - 05h54

 

Mott, Moema Gramacho e Nelson Pelegrino.

As cores vibrantes das transformistas e das fantasias chamavam a atenção de um pequenino de três anos. Era tanta gente colorida, que ele não sabia em quem se focar. A avó do garoto, a empregada doméstica Helenita Pinheiro, 49,  tinha a mesma reação, embora observasse com mais timidez a movimentação. Era a primeira vez que ia à Parada Gay da Bahia, evento realizado neste domingo à tarde, no tradicional circuito carnavelesco entre as praças do Campo Grande e Castro Alves. “Minha filha quem me trouxe”, conta dona Helenita. “Ela disse que era bom, e é mesmo.” A filha, Taiane Pinheiro, 22, endossa: “Há três anos que eu venho, porque é muito divertido.”

Em meio ao público estimado em 800 mil pessoas, que seguia os 10 trios elétricos ou se deixava ficar pelos bairros do Campo Grande, Garcia ou Dois de Julho, não era difícil encontrar quem, como dona Helenita, houvesse ido com a família. No caso da família Silva, foi a aposentada Maria, 72, quem pediu à irmã Lúcia, 50, para levá-la. Em outro canto, entre filhos e netos, dona Jacira Santos, 52, pulava ao som da batida eletrônica dos trios elétricos e achava tudo “ma-ra-vi-lho-so”. “Os gays estão de parabéns!”

Em sua oitava edição, a Parada deste ano também serviu para comemorar os 30 anos do Grupo Gay da Bahia (GGB), ong que defende os direitos dos homossexuais. De penacho colorido na cabeça, Luís Mott, fundador do GGB, disse sentir-se muito bem por ser lembrado com alegria e consideração pelo público GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais). “Mas o que me deixa triste é saber que, só neste ano, já houve 18 mortes por homofobia aqui na Bahia”, lembra.

Fora do armário - “Ainda está no armário? Ótimo, assim fica mais fácil escolher com que roupa você vai.” Com este mote de divulgação para a parada, o GGB buscou incentivar os gays a assumirem sua orientação sexual publicamente. O preconceito é o primeiro empecilho, sobretudo para os mais jovens que ainda dependem dos pais.

Na família de Victor, 23, só a mãe sabe. “Meu pai diz que, se tiver um filho gay, bota para fora de casa.” Já na casa de Alane Tavares, 18, aconteceu de o seu irmão contar para a mãe e ela se ver obrigada a assumir sem estar preparada para fazê-lo. “Foi muito duro. Por quase um ano, minha mãe não falava direito comigo, nem fazia nada por mim. Não tinha apego, sabe?”

Jeferson S., 30, conta por sua vez que se assumiu há sete anos, mas nem o tempo tornou as coisas mais amenas dentro de casa. “Embora meus pais saibam, ninguém toca no assunto. Não posso levar namorado para casa”.

Personalidades - Nos trios, não faltaram atrações de peso para animar o público. O DJ Bill Hallquist, de Miami, foi contratado pela Boate Off Club. Para os fãs de Amy Winehouse, a versão baiana, Boana Wenihause, não deixou a desejar. E teve também o  vereador Leo Kret, que partiu com o primeiro trio, jogando beijos e acenos para o povo. Leo Kret disse estar ali comemorando também a aprovação, pela Câmera, do seu projeto de criminalização da agressão verbal ou moral contra os homossexuais.  “Eu venho todos os anos, e já recebi diversas homenagens, mas agora a minha participação está ligada principalmente ao peso de minha luta política”, disse.(Salvador, 26/10/09) reprodução maeria original do jornal A Tarde da Bahia.

 

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia