O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Caso desvendado

Elucidada morte de presidente de ONG

Por Redação 9.05.09 - Maracanau -CE

Johnnatan James contou detalhes de como praticou o assassinato (Foto: Reprodução)

Após cerca de 50 dias de investigação, a Polícia Civil desvendou o latrocínio (roubo seguido de morte) do presidente da organização não-governamental (ONG) Sociedade para o Bem Estar da Família (Sobef), Cleílson Martins Gomes, 37.

O crime ocorreu no dia 17 de março último, em Maracanaú, mas quase dois meses depois a Polícia ainda não tinha pistas do acusado, até que as investigações, comandadas pelo delegado Romério Almeida, titular da Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM), apontaram para Johnatan James de Castro Silva, 23.

Ele confessou o crime na tarde da última quinta-feira (7), na DMM após ser intimado a comparecer naquela delegacia. Na presença do seu advogado, Johnatan contou que matou o presidente da ONG após uma discussão. Depois de confessar o crime, foi liberado, mas o delegado deve solicitar sua prisão preventiva à Justiça.

Reconhecido

De acordo com Romério Almeida, o acusado foi reconhecido por duas testemunhas com Cleílson momentos antes do crime. Os dois teriam se encontrado mais cedo, e se dirigido para a casa da vítima, para conversar sobre uma proposta de emprego.

De acordo com a investigação da Polícia, na residência de Cleílson, os dois teriam se desentendido e Johnatan teria agredido a vítima até a morte. Em seguida saiu da casa usando uma mochila, contendo um notebook, um relógio de pulso e um aparelho celular.

Segundo Almeida, Cleílson e Johnatan eram velhos conhecidos, pois o acusado já havia morado em Maracanaú. “Há três anos ele estava morando em Fortaleza, mas dias antes do crime, reencontrou Cleílson. A vítima marcou um encontro com ele em sua casa. Lá, acabou morto”, revelou.

Nota da redação do site. O Grupo Gay da Bahia (GGB) parabeniza a ação da Polícia Civil daquela localidade pelo empenho na investigação e resolução do caso. Tão somente ação e comprometimento da Polícia são capazes de resolver casos como estes.

 

 

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia