O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  


Ronaldinho e as travestis

Na foto ao lado a travesti Andréia Albertini de pose da carteira de habilitação do jogador, acusa Ronaldo, que diz, em depoimento, que é vítima de extorsão. Tudo poderia ser mais simples na lógica do desejo.

.

Salvador,BA, 11/05/08 – Parece café requentado, mais não é mesmo. Travestis e prostitutas são sempre assuntos quentes para a grande imprensa. Melhor quando esses estão relacionados, quase sempre, com gente famosa torna-se a notícia um verdadeiro banquete para todos inclusive para o povo médio que adora um babado, um rebucetê e esse foi um delas, que passado os dias certamente será esquecido.

Travestis despertam uma enorme curiosidade junto ao público masculino. Muitos homens rejeitam, mas não resistem às formas e curvas das meninas. Elas são verdadeiros centauros urbanos. E Ronaldinho não pode resistir a essa curiosidade foi traído pelo desejo.

O desejo é assim mesmo confunde e muitas vezes até escraviza e alguns descem aos limites da existência para satisfazê-lo mesmo que seja por um minuto apenas e nada mais. Tem muitos homens que são escravos do desejo. Eles são fabulosos porque são assim mesmo, que perdem a cabeça quando tiram um dia para esculhambar.

Um beijo para quem entender a cabeça e o coração masculino. Eu ofereço como recompensa as minhas propriedades no Brasil, África e Europa para quem desvendar a façanha masculina. Oras bolas Ronaldo não é gay e nem se tornará por isso. Não é gay porque gay não sente nenhum interesse sexual e erótico por travestis, sequer curiosidade, ao contrário. 

São os machos heterossexuais que se deleitam com as meninas, porque elas são iguais a eles, são heterossexuais, são mulheres construídas para agradar aos mais variados desejos dos homens e não dos gays, que gostam e se excitam com homens, quanto mais macho, melhor.

Essas são diferenças mesmo que subjetivas tornam-se elementares para entender essas sexualidades fluidas dos machos urbanos ávidos por novidades para espantar o tédio.

Os gays gostam de homens gays e homens não gays também porque gostam do pênis em sua forma. Pedaço de carne que tanto provoca e atiça a curiosidade não somente deles próprios, mas dos outros que não tem, mas querem ter um, ou mais de um. Muitas lésbicas não têm, mas queriam tê-lo.

Homem é demais e todo mundo que não é homem quer ter um para chamar de seu.  As mulheres não lésbicas adoram, algumas lésbicas queriam fisicamente ser um deles, muitas são simbolicamente, os gays querem, as travestis querem, as transexuais querem. Essas últimas reconstroem suas vidas, refazem seus corpos para eles, para abrigar aquilo que eles chamam de preciso em seus corpos. Os homens são safados e curiosos por natureza e isso é algo que fascina.

Ronaldinho é um curioso, assim como muitos machos safadinhos que adoram uma coisinha boba com essas meninas. Eles não querem homens, falam que homem igual a eles tem cheiro ruim – eu não acho que tem – querem essas mulheres que tem forma e cheiro de mulher e trazem consigo em seus copos algo que lhes distinguem das mulheres biológicas.

Essas saídas desses machos com mulheres centauros urbanos não deveria ser motivo de tanto reboliço, porque pelo gênero existe uma adequação com o desejo e o visual. O que implicaria isso para o Fenômeno?. Dois pontos de vista.

Um é da classe média escrotinha, que acha um absurdo o vacilo ecritica o moço. Mas junto ao povão não oferece risco, porque o macho popular é um comedor. Ele traça até uma vassoura de saia, quanto mais travestis gostosas, peitudas, popozudas, cabeludinhas e perfumadas. (Marcelo Cerqueira)

 

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia