O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Foi lindo

Parada Gay da Bahia, sete anos de sucesso
Por Luiz Mott


 

SALVADOR,BA, 15/08/09 - 400 mil participantes na 7ª Parada Gay da Bahia, cálculo oficial da PM divulgado em todos os jornais de Salvador. Cem mil a mais do que no ano passado. Parada muito mais politizada, com todos os 12 trios transmitindo o tempo todo mensagens contra a homofobia, pelo voto consciente, camisinha sim Aids não! Desde as 13hs, no palco montado no Campo Grande, bandas e transformistas se intercalaram, aguardando o início da parada.

Debaixo de um sol maravilhoso, às 15hs, Luiz Mott, presidente substituto do GGB devido ao licenciamento de Marcelo Cerqueira que é candidato  nestas eleições, faz o discurso inicial de abertura da Parada: “A BAHIA É GAY! SÃO PEDRO É GAY!!!” Falou sobre a importância política do evento, leu o nome dos 17 homossexuais assassinados na Bahia em 2008, cobrou a ausência do Governador e do Prefeito em exercício.

Em seguida o padrinho da parada, o cantor Gerônimo, vestido com um saião branco, cantou “Essa cidade é de Oxum”, dizendo que o mundo seria triste se os gays não existissem! A jornalista  Rita Batista foi a segunda homenageada,. Teve também falação da Secretária do Meio Ambiente da Bahia, Beth Wagner, do PV, que quando vereadora, aprovou lei contra a homofobia. 

Subi em onze dos doze trios, em todos transmitindonossas mensagens. Alguns trios estavam encrementadíssimos, qualidade São Paulo! A bandeira do arco-iris  de 40 metros teve dificuldade de ser aberta, tamanha a muvuca na frente da parada. Frenética a  panfletagem de múltiplos partidos e tendências políticas. A PM reprimiu os briguentos mais afoitos, prendeu alguns ladrões, segundo sua avaliação o clima estava mais para “faça amor não faça a guerra”. Vamos cobrar um relatório avaliativo de todos os órgãos públicos que participaram do evento, inclusive da Entursa e Bahiatursa, para avaliar o impacto da parada nos hotéis,  turismo,  segurança e saúde.

A avaliação geral, comparativamente aos anos anteriores e com as paradas de outras cidades e estados, leva-nos a concluir que para o próximo ano, traria melhores resultados reduzir o número de trios: é melhor menos trios de qualidade excelente do que muitos carros de som pequenos que não atraem a galera e causam vazios no trajeto da parada. Pessoalmente considero importante que o GGB conte com  uma maior  participação dos grupos organizados GLBT de Salvador e da Bahia  para planejar e arcar com todo o trabalho titânico que exige tal evento, convocando desde já, para depois do próximo carnaval, uma primeira reunião de planejamento da 8ª Parada Gay da Bahia.

No final da Parada, no Palco do Campo Grande, frente a uma multidão de mais de 50 mil pessoas, fiz uma consulta pública sobre o nome das próximas  paradas: venceram os aplausos pela  manutenção do  tradicional Parada Gay da Bahia, e não a sopa de letrinhas. O povão entende gay como genérico que inclui toda a diversidade sexual LGBT. Aproveitei também para fazer um discurso contra a pedofilia, e por duas vezes a multidão gritou por vários minutos: PEDOFILIA NÃO! Acredito que não há outro precedente na nossa história de um movimento de massas que se manifestasse tão radicalmente contra o abuso sexual e em defesa de  nossas crianças e adolescentes

contatos podem ser feitos - luizmott@oi.com.br

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia