O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 
Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

  

MOVIMENTO GLBT

Líder gay tem retrato introduzido no salão nobre do GGB

Um dos precursores da luta contra a homofobia no Brasil, o advogado gaúcho, radicado no Rio de Janeiro, João Antonio Mascarenhas, fundador do Jornal Lampião da Esquina e do combativo Grupo Homossexual Triângulo Rosa, falecido em 1999, deixou para o Grupo Gay da Bahia, um quadro pintado pelo pintor gaúcho Moacir Scliar.

A encomenda foi presenteada ao GGB pelo seu testamenteiro e amigo de longas datas, Rubem Gomes, que veio do Rio de Janeiro de carro particular conduzindo o famoso retrato. A entrega solene aconteceu na segunda quinzena de dezembro na sede do GGB quando acontecia uma reunião de jovens do projeto Se Ligue. Luiz Mott, fundador do GGB, juntamente com demais membros receberam o quadro e ressaltaram o papel desbravador de Mascarenhas nos anos de 1980, quando ele foi ao Congresso Nacional em 1988, defender a inclusão da expressão Orientação Sexual no texto da Constituição, no quesito que garante ninguém ser discriminado em virtude de credo, cor, raça. A luta na época era para incluir nessa parte da Carta Magna, a expressão Orientação Sexual, iniciativa derrotada pela bancada conservadora da casa. Mascarenhas era de um preciosismo enorme e mantinha o habito de registrar sua vida cotidiana em um precioso diário que antes de morrer solicitou que fosse queimado. Conta-se que no Diário estaria registrado um famoso jantar que ele teria oferecido aos oficiais gays da antiga União Soviética quando visitaram o Brasil antes do golpe militar de 1964.

Um pioneiro, precursor, generoso, temperamento difícil, às vezes equivocado como todos os militantes, são as palavras de Luiz Mott, com quem o militante mantinha estreita relação de amizade.

Projeto Se Ligue comemora um ano de sucesso entre jovens

O penúltimo sábado de dezembro do ano passado foi um dia de festa na sede do Grupo Gay da Bahia. O motivo da comemoração foi a celebração com jovens e convidados do encerramento das atividades do projeto Se Ligue, uma iniciativa da entidade, que tem a finalidade de estimular os jovens homossexuais para o exercício da cidadania, prevenção do HIV e Aids e a criação de ambientes de tolerância na Escola, na Família e na vida cotidiana desses jovens.

A festa começou às 19h e terminou às 22 horas, e os participantes levaram salgados, doces e bebidas. A boate Queens presenteou a moçada com o show de dois
gogo-boys que se apresentaram e foi um dos picos da confraternização. Marcaram presença as bonitas Aixa Poltergais, Natasha Vogue, Fabiane Galvão. O som ficou por conta do DJ Mopa, que fez a maior festa para a moçada jovem e animadíssima.

O projeto Se Ligue é escândalo, declarou Aixa Poltergaist, ofegante depois de agitado número performático. Ainda de acordo com ela, o projeto representa um espaço de construção da cidadania dos jovens homossexuais a única minoria social onde a discriminação começa em casa, disse. As reuniões do projeto acontecem todas as quartas-feiras a partir das 15h na sede do GGB, que fica ao lado do Teatro XVIII, no Pelourinho. As reuniões e todas as suas atividades recebem jovens de todas as orientações, meninos e meninas, inclusive trans adolescentes. A aids ainda é uma preocupação muito grande entre a população jovem. Como uma ação do projeto no combate a doença, os jovens recebem sempre preservativos, lubrificantes e são encorajados a utilizar em todas as relações sexuais de risco. O projeto tem apoio da Pathfinder do Brasil e do Creaids, órgão do Estado da Bahia que oferece serviços de atenção às pessoas que vivem com a doença.

Oh!!! Olinda teve Parada Gay

A I Parada da Diversidade de Olinda aconteceu no último Domingo (24/01) com a presença da prefeita Luciana Santos (PC do B) e do vereador Marcelo Santa Cruz (PT) autor da lei municipal que pune a discriminação aos homossexuais no âmbito do trabalho.

O trânsito foi interditado às 16h e a Parada saiu às 17h:30 pela Rua do Sol em direção à Praça do Mercado Municipal Eufrásio Barbosa. No carro oficial estavam os militantes e a banda pernambucana, Som Brasil, que tocou sucessos consagrados da “gay-music” internacional. Já no segundo carro travestis dançaram ao som de música eletrônica. Etelania de Cássia coordenadora geral da Parada e presidente do Movimento da Visibilidade Lésbica de Olinda (MOVILO), Edvaldo Sousa representante do Grupo Satyricom de Pernambuco e Marcelo Cerqueira, secretário de Comunicação da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis (ABGLT) fizeram as considerações finais do alto do trio oficial no encerramento do evento.

“Este é um evento pela diversidade contra o preconceito. Não queremos ser iguais, somos diferentes” declarou Etelania Cássia seguida por Marcelo Cerqueira que levou o apoio da (ABGLT) ao tempo que fez críticas ao governo pela omissão nas questões de Orientação Sexual “o governo continua omisso com os homossexuais. Como Zumbi e Ganga Zumba, vamos continuar lutando para libertar os gays do ódio e dos assassinatos”, declarou o líder gay.

Cerca de mil pessoas participaram do evento na opinião da Comissão Organizadora. Conforme dados estatísticos da Polícia Militar que garantiu a segurança com o efetivo de vinte homens, cerca de seiscentas pessoas estavam na concentração e seguiram os dois trios elétricos. “Não houve nenhum incidente. Se todos os eventos fossem assim, seriam ótimos” declarou o tenente Djair do 17o Pelotão de Polícia de Olinda. No final houve uma grande feijoada no pátio do mercado de artesanato, onde o DJ Demócrito, pilotava os hits das paradas eletrônicas do mundo. (MC)

Rumo as paradas 2004

Aconteceu no Rio de Janeiro de 14 a 17 no Hotel Guanabara a III Reunião anual para avaliação das Paradas que aconteceram no Brasil ano passado. Para o evento foram convidadas cerca de vinte e quatro entidades de gays, lésbicas e transgêneros. Reuniu mais de cinqüenta participantes com a finalidade de avaliar as paradas anteriores e criar uma agenda nacional, com datas e temas em sincronias com as conquistas dos homossexuais nos últimos vinte anos. O evento tem o apoio da Coordenação Nacional de Aids do Ministério da Saúde que quer incrementar uma grande ação de prevenção no Brasil junto aos homossexuais por ocasião das paradas. O Ministério quer apoiar a realização das paradas em todas as capitais brasileiras. A dificuldade ta no Acre e no Amapá, pois naquelas regiões o movimento GLBT ainda está instalado e com entidades que trabalham com a questão dos homossexuais a mais de um ano.

A primeira marcha acontece em Salvador no dia 6 de junho e a última em Aracaju no dia 30 de julho. Prepare o seu bom modelão, bote força na peruca e se jogue orgulhosos em todas as capitais do Brasil.

Travestis se reúnem em Salvador por direitos e inclusão social

Começou no dia vinte e nove de agosto e seguiu até o dia três de abril nas dependências do Hotel Vila Velha no Corredor da Vitória, centro de Salvador o I treinamento nacional do projeto TULIPA, que tem a finalidade de promover e capacitar as transexuais e travestis em matéria de direitos humanos e prevenção das DSTs/HIV e Aids. O Projeto tem o apoio da Pathfinder do Brasil é desenvolvido pela Associação Nacional de Travestis (ANTRA) que congrega travestis de todo o Brasil em forma de rede nacional.

São vinte e duas transgêneros de seis estados brasileiros reunidas em Salvador com a finalidade de serem capacitadas em direitos humanos e prevenção das DSTs/HIV e Aids. “As transgêneros ainda são muito vulneráveis frente aos seus direitos e a prevenção do HIV em nosso meio. Muitas de nós vivem da prostituição, seja por opção ou por falta de trabalho socialmente aceito” declarou Keila Simpson, da Associação de Travestis de Salvador e facilitadora do evento. O Ministério da Saúde através da Coordenação de Aids, acabou de lançar uma campanha inédita voltada para as transgêneros que estimula a auto estima, o respeito e a prática da cidadania como uma forma eficaz de prevenir a infecção pelo HIV o vírus da aids.

Em caravana junto com outros militantes locais as transgêneros entregaram ao Deputado Yulo Oiticica da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa da Bahia, documento com as suas reivindicações de inclusão social e isonomia transexual na Bahia.

(Marcelo Cerqueira, Secretaria de Comunicação da Associação Brasileira de gays, Lésbicas e Transgêneros ABGLT)

 


Voltar

,
  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia