O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Robbie Williams é indenizado após ser chamado de gay

O cantor pop britânico Robbie Williams aceitou uma alta quantia, de valor não informado, ao vencer um processo por difamação contra duas revistas que afirmaram que ele era um "homossexual enrustido". Williams "não é nem nunca foi um homossexual", declarou o advogado do cantor, Tom Shields, após audiência preliminar na Suprema Corte, onde as partes litigantes chegaram a um acordo. O cantor britânico não assistiu à leitura do veredicto, na qual se estabeleceu que os grupos editoriais Mirror Group Newspapers (MGN) e Northern&Shell, proprietários das publicações que informaram sobre sua suposta homossexualidade, o indenizarão com uma quantia não informada. A história que levou a esse julgamento começou em agosto do ano passado, antes da publicação do livro Feel, escrito pelo cantor e um colaborador, Chris Heath, no qual são contadas algumas experiências sexuais de Williams com mulheres. Antes do lançamento, a revista The People, do grupo Mirror, publicou na capa um artigo segundo o qual o cantor havia tido várias experiências homossexuais, as quais não mencionava no livro. "O amante secreto de Robbie", intitulou a revista, que mencionou um suposto encontro do cantor com um desconhecido no banheiro de uma discoteca de Manchester (norte da Inglaterra). Depois, em setembro de 2004, a revista Star, do grupo Northern & Shell, publicou um artigo dizendo que Williams era homossexual. No ano passado, Williams processou as duas revistas pelos artigos que afirmavam que ele havia mentido sobre sua sexualidade no livro. Além da indenização, os demandados aceitaram escrever um desagravo, o que o advogado do cantor destacou como uma confissão da falsidade das informações publicadas. A advogada da MGN e da Northern & Shell, Zoe Norden, disse, após a audiência, que a firma aceita que as informações são falsas. A empresa "se desculpa ante o demandante e expressa seu pesar pelos danos causados", declarou Norden. A indenização deverá ser paga nos próximos dias, disse o advogado do cantor. AFP

Indignação - O Grupo Gay da Bahia (GGB) teve acesso a notícia da idenização pela imprensa e vem a público expressar o seu mais completo repúdio a atitude do cantor britânico. "Postura antipatica que não colabora em nada para a suposta imagem de machão que o cantor quer promover", declarou Marcelo Cerqueira, presidente da entidade na Bahia e secretário de Comunicação da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis (ABGLT) "Ninguém que tenha a sua opção sexual definida, se abala em ser chamado de gay ou lésbica, porque ser homossexual não desabona conduta de ninguém", conclui o militante. Se a indenização sair, a orientação da entidade é que o ator faça uma doação para programas de prevenção ao HIV e Aids e de combate a homofobia no mundo. Caso similar no Brasil foi protagonizado pelo ator Victor Fasano que se sentiu prejudicado ao ser identificado como gay por um colunista de televisão. (Da redação do site)

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia