O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Pai de Santo é assassinado a tiros em Tancredo Neves

SALVADOR, 16/12/09 – Através de ligações anônimas feitas por moradores do Bairro de Tancredo Neves, comunidade da Babilônia, na tarde de hoje, tomamos conhecimento da morte de Pai Santinho, liderança da religião afro com terreiro e função de Pai de Santo a mais de vinte anos, com grande número de filhos e filhas, inclusive fora da Bahia.  O crime ocorreu na manhã de hoje. O GGB recebeu três ligações informando o ocorrido, mas ninguém sabia informar qual seria o motivo do assassinato. Santinho era nome social, substitutivo para Marcos Ferreira dos Santos, assassinado aos 36 anos de idade, por tiros, o corpo foi encontrado por vizinhos caído dentro do banheiro.


Otavio Reis Filho, do Grupo Quimbanda Dudu, também adepto da religião de matriz africana acompanhou a liberação do corpo por familiares que vieram de Santo Antônio de Jesus e dezenas de filhos, filhas de santo e ogãns da Casa. Não sabemos qual motivo da morte, mas é de conhecimento popular que a região onde a mesma residia é considerada violenta. “Não acredito que ele tinha algum tipo envolvimento com tráfico, além do de conviver com essa realidade na sua comunidade”, acredita Marcelo Cerqueira, presidente do GGB. “Ele era uma pessoa que sempre buscou dar exemplo, especialmente por ser zelador do Santo, ter vários filhos e filhas”, assim, descarto essa possibilidade de associação com o tráfico. É de conhecimento público que a área é comandada por grupos. Pessoas da comunidade estão assustadas e muitos estão abandonando suas casas devido ao medo, poucos se predispõem em dar algum tipo de declaração com medo de sofrer represálias.

Outra situação, que parece ser grave é que muitos grupos armados não querem que candomblés funcionem nessas comunidades para que eles possam ter mais liberdade de circulação, de algum modo os candomblés acabam trazendo muitas pessoas de fora para a comunidade nos dias de festas e no cotidiano. O assassinato de Santinho pode ser o início de uma questão muito mais complexa de grave.

Populares acreditam que o crime tenha sido por vingança ou queima de arquivo. Cerca de dois meses atrás um filho de santo foi assassinado e Pai santinho foi a Delegacia prestar depoimento. Pessoas da comunidade e do entorno fazem esse paralelo " Ele deve ter falado alguma coisa, talvez por isso, não se sabe" disse uma pessoa que pede para não ser identificada. Lei do silêncio. O caso encontra-se sob investigação do Delegado Titular da 11 CP, Dr Adailton de Souza Adam.

Ele apesar de ter aparência feminina, preferia ser identificada como Pai Santinho. Freqüentava as reuniões do GGB e da Associação de Travestis de Salvador (Atrás), qual era filiada a mais de dez anos. Com a morte de Santinho sobe para 23 homossexuais assassinados na Bahia esse ano.

Morreu sem ver o sonho de dar o nome Joãozinho da Gomeia a um terreno que funcionava como praça no fundo de sua casa. Esperamos ao longo do dia de quinta-feira poder receber mais informações sobre o caso. O sepultamento de Pai santinho acontece as 17h30 no Cemitério das Quintas dos Lázaros, Baixa de Quintas. (Noticia atualizada em 17/12/ as 14h31min)

 

 

 

 

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia