O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Parada Gay enfrenta desafio de virar evento turístico

Salvador,BA, sábado, 10 de setembro de 2011 - por Tássia Correia do A Tarde

Prestes a realizar sua 10ª edição neste domingo, 11, a Parada Gay da Bahia vive um desafio: tornar-se um evento turístico para o Estado, a exemplo do que acontece em outras cidades como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Juiz de Fora (MG). De acordo com o Grupo Gay da Bahia (GGB), a expectativa é  que um milhão de pessoas saiam às ruas de Salvador neste domingo para aproveitar as atrações e defender as causas do movimento gay.

Estado e prefeitura estudam fórmulas para atrair turistas e dar maior visibilidade à manifestação

O número é minimizado pelos órgãos públicos, mas ainda sim expressivo. Segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte (Transalvador), são esperadas 700 mil pessoas na 10ª Parada Gay da Bahia. Movimentação que provocará a mudança no trânsito em pelo menos sete trechos do Centro da cidade, além de reforço nas linhas de ônibus que passam pela região do evento (veja quadro ao lado).

 

Além disso, serão 1.050 policiais militares deslocados para realizar a segurança na região,  e 50 sanitários químicos distribuídos no circuito.

Turismo - Cerca de 70% das vagas em hotéis e pousadas de Salvador estão ocupadas, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (Abih). A média de ocupação hoteleira para a cidade  é de 65%.

Apesar disso, o presidente da Abih, José Manoel Garrido Cambeses, acredita que o incremento não está diretamente ligado à Parada Gay. “É o movimento normal do setor. Para atrair o turista, o evento precisa  de mais visibilidade fora, não só do próprio grupo que o promove como também uma parceria com governo do Estado e prefeitura”, avaliou Cambeses.

Em São Paulo, no ano passado, estima-se que três milhões de pessoas participaram da Parada Gay, sendo 400 mil  turistas. Em média,  cada turista  gastou  R$ 1,5 mil  com hospedagem, alimentação e transporte, segundo cálculos da prefeitura. A movimentação total foi de R$ 188 milhões. O evento só perde, em movimentação turística, para  a Fórmula 1 e a Fórmula Indy.

Tendência - O secretário municipal de Turismo de Salvador, Cláudio Tinoco, admite que ainda não há uma venda da Parada Gay da Bahia como produto turístico, mas diz que o órgão já tem essa percepção: “Estamos estudando qual  tendência  o evento irá tomar. Em paralelo, é preciso criar outros roteiros e eventos atrelados à data, porque a parada por si só não atrai turistas simplesmente por seis horas de desfiles”.

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia