O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Na escola

GGB quer lei contra bullying nas escolas municipais  
Editoria local Salvador, Ba, 28/06/09


Vereadora Leo Kret na sede do GGB no Pelourinho.

 

SALVADOR, BA, O Grupo Gay da Bahia (GGB) enviará nessa segunda-feira, 28 próxima aos cuidados da vereadora Leo Kret um projeto de lei que dispõe sobre a inclusão de medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying escolar no ambiente educacional das escolas municipais.

O projeto originalmente foi concebido pelo vereador Gabriel Chalita da cidade de São Paulo, aprovado no plenário, agora o GGB quer aplicar em Salvador. Em sendo aprovado pela Câmara Municipal de Salvador o projeto deverá ser um aliado dos professores engajados e militância no combate e reprovação de todo preconceito e homofobia no ambiente escolar.

Esta ação é parte do Projeto Se Ligue do GGB que atua com jovens homossexuais a mais de dez anos promovendo encontros, oficinas e debates sobre juventude, escola e sexualidade. O projeto diretamente combate o comportamento agressivo entre estudantes que se apresentam em atos como colocar apelidos, ofender, humilhar, zoar, gozar, encarnar e sacanear. Um dos apelidos muito usado por jovens em ambiente escolar é encarnar chamando o colega de “florzinha”. Marcelo Cerqueira, presidente do GGB já foi por diversas vezes fazer palestras em escolas por conta desse comportamento entre os alunos.

Ele diz que uma aluna em processo de transexualização era por demais perseguida pelos colegas porque ela se recusava usar sapato masculino e preferia usar uma sandália feminina com um saltinho discreto. “Fui a convite da direção na Escola e dialoguei com os alunos sobre o respeito às diferenças, acredito que a situação mudou porque fizemos quase que um pacto entre os alunos da escola”, diz.  Jovens homossexuais não suportam essa pratica e a escola acaba sendo um verdadeiro terror para eles culminando com a evasão.

A Ong ABRAPIA tem excelentes trabalhos sobre o bullying e classifica essa ação como todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.
Com apresentação do projeto o GGB espera junto com o mandato da vereadora Leo Kret reduzir não somente o preconceito mas os estigmas e discriminações no ambiente escolar. O projeto é amplo e como ele pune o comportamento agressivo e a perseguição, contempla alunos negros, homossexuais, evangélicos e gordinhos. Pessoas que tem rendimento escolar prejudicado devido ação do preconceito.

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia