O GGB    ::    SEJA MAIS UM FILIADO    ::    FAÇA SUA DOAÇÃO    ::    ggb@ggb.org.br
 

Home
Saúde
Movimento GLBT
Grupos GLT
Editorial
Legislação
Direitos Humanos
Orientações
Caderno Cultural
Educação
Agenda 2004
Notícias
Artigos-Opinião
Acontece
Nossas publicações
Turismo
Sociedade
Destaques
Marcelo Cerqueira
Sites
Projetos
Roteiros e serviços

 

  

Xaveco - Gays e mulheres falam sobre dar e receber cantadas

Como chegar junto e se dar bem
Editoria local Salvador, Ba, 25/04/2010 - por MARCELO CERQUEIRA


Um caso clássico no cinema - Heath Legder e Jack Gyllenhaal interpretando dois cowboys no filme "O Segredo de Brokeback Mountain".

 

 

Um provérbio popular diz em relação a sexo não existe mulher difícil e sim mulher mal cantada. Discutível entre as mulheres que tem vários pontos de vistas em relação à máxima popular. Algumas acreditam que às vezes a cantada bota tudo por água a baixo, ou melhor, desanda o entrosamento e às vezes o corpo o gesto leva para a cama a sua presa sem palavras.

Isso sem esquecer que existe mulher que gosta de dar também aquele baratino, tirar de tempo, fazer a fita e depois cair fora da reta, ou melhor, tirar da reta. “Um cara vai e canta a mulher... ela diz não quero, e às vezes ela não quer com ninguém naquele momento, não existe cantada boa, ela não quer.”, explica a jornalista baiana Maria Aparecida, 38 anos, solteira que assume se o cara lhe interessa parte pra cima sem muitos rodeios  e adora uma boa cantada e uma pegada.

A opinião de Aparecida é compartilhada pela enfermeira Josilene, 25 anos que vai mais além e afirma que lábia não é tudo e para chegar junto e se dar bem não tem uma receita para isso, mais acredita que tem de ter uma boa pegada, apesar de desiludida com os homens.  “O homem hoje em dia está muito desacreditado, mulher não acredita em tudo que o homem fala, ela finge, resumindo o que é bom mesmo é ter uma boa pegada”, acredita.

Em matéria de homens, conquistar homens gays e mulheres tem muitas artes e manhas para penetrar no coração desse ser masculino em constante transformação. Na opinião de Sandro Almeida, 27 anos, esteticista para chegar junto e se dar bem tem de superar a timidez e ensina alguns passos. Ele acredita que o homem de hoje não é machista e nem difícil, mas tudo tem de ser na hora certa, com uma boa pitada de cantada direta, mas na medida, pois pode virar tudo ao contrário. “Um homem cantado na hora certa pode ser fatal... mas a se biba for muita exibicionista e atirada pode por tudo a perder”, acredita.  “Nada que uma boa cantada num local e momento certo para não vir a cair nas garras da biba, duvido” continua.

Sandro compartilha da opinião de que todos os homens fazem, ou melhor, tem prazeres eróticos com outros homens sem necessáriamente se considerar gay, seja por amor, tesão ou interesse.  “Muitos homens fazem.. o babado é... hora certa, no momento certo com a  cantada certa”, conclui.

Sandro ao que parece é paciente nessa arte de chegar junto diferente de outros gays que já vão direto ao assunto sem ficar fazendo sala para o cara, o possível bofe. “Eu não tenho paciência, vou logo ao assunto, dou logo a cantada de putona e pronto”, afirma Ricardo, 40 anos, empresário em Salvador.  Já Luiz, 38 anos, que se diz tímido apesar de trabalhar com o publico é mais cauteloso quando o assunto é chegar junto e se dar bem com o cara. “É importante perceber se quem você esta afim demonstra algum tipo de interesse por você” ensina. “Como sou tímido na paquera procuro ter bem certeza disso e a partir daí se jogar na cara de pau e com cantadas inteligentes” conclui. Para ele clichês como perguntar que horas são, se a pessoa vem sempre naquele lugar não funcionam mais na paquera.

Quando o assunto é chegar junto, ou no bom popular xavecar, dar o xaveco as dicas valem para todos os sexos, ou gêneros. Um dialogo com a lista do msn vários gays deram dicas bafonicas para o momento. Então é bom ficar atendo em alguns itens básicos da regra do bom gay xavecador de bofes. Ai vão elas; reparar nos sinais oferecidos pelo alvo, ter sempre uma grana para oferecer uma bebida, controlar o tom da voz importante não ficar nervoso, faça perguntas que instiguem respostas, mas não abuse das perguntas, controle o olhar para não ficar perdido e prefira xavecar com outros amigos gays xavecadores.

O Grupo Gay da Bahia (GGB) é da opinião que xavecar não é crime, isto é, paquerar alguém do mesmo sexo não é nenhum delito. É importante que os gays façam isso como uma forma de afirmação da identidade e da orientação sexual. É possível que alguns homens podem não gostem gostar de ser cantado por outro, mas outros homens podem curtir isso. Você deve avaliar, ou melhor, ficar atento nos sinais. Se ocara não gostar da cantada não tenha receio de pedir desculpas. Os personagens tiveram seus nomes trocados para evitar constrangimentos.

 


Voltar

  __________________________________________________________________________________________________________
  Grupo Gay da Bahia - GGB
Rua Frei Vicente, 24 - Pelourinho - Caixa Postal 2552
CEP 40.022-260. Salvador / Bahia / Brasil 
Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176
Fax: 322-3782
 
__________________________________________________________________________________________________________

         © 2003, Todos os direitos reservados, Grupo Gay da Bahia